Jump menu

Main content |  back to top

Marcos históricos

Centenário no mundo

Shell Aviation. 100 anos de Inovação.

Shell Aviation. 100 anos de Inovação.

A marca Shell comemorou em 2009 o seu centário no setor de aviação, no mundo. Tudo começou em 1909, com o voo histórico de Louis Blériot, cruzando o Canal da Mancha, usando combustível Shell.

A partir desta época, a marca Shell desempenhou um papel crucial em muitos momentos históricos da indústria de aviação. A Shell se orgulha de ter fornecido combustíveis e lubrificantes para diversos pioneiros na história da aviação, além de ter participado ativamente em pesquisas para o desenvolvimento da própria indústria.

Em 1919, abastecemos o primeiro voo entre Inglaterra e Austrália, com os irmãos Ross e Keith Smith. A viagem levou 27 dias.

Centenário no Brasil

No Brasil, a atuação da marca Shell no mercado de aviação começa em 1913. Em 1927 aconteceu o primeiro abastecimento de uma aeronave comercial no país. Para encher os tanques do hidroavião de passageiros, Dornier Wal, foram necessárias dezenas de latas e tambores transportados por meio de pequenas barcas.

Oito anos mais tarde, a Shell forneceu o combustível para o voo da piloto neozelandesa Jean Batten, a primeira mulher a realizar o trajeto entre o Reino Unido e a América do Sul, além de ter sido a primeira aviadora a completar o percurso em menor espaço de tempo.

Inovação e tecnologia

Os irmãos Smith no primeiro voo entre Inglaterra e Austrália.

Os irmãos Smith no primeiro voo entre Inglaterra e Australia, em 1919.

Inovação e tecnologia sempre estiveram presentes na historia da Shell. Nas décadas de 40 e 50, por exemplo, participamos de pesquisas inovadoras, como as do primeiro motor a jato com Sir Frank Whittle. Participamos também do desenvolvendo o primeiro sistema de abastecimento por hidrantes do mundo. Na mesma época surge o Shell Water Detector, um importante identificador de presença de água no querosene de aviação.

Em 1956, a Shell foi a primeira empresa a instalar um sistema de hidrantes em um aeroporto no país, o Salgado Filho, em Porto Alegre (RS).

Na década de 60, a Shell já estava presente em 34 aeroportos de 20 estados brasileiros. Esse foi o resultado do foco em crescimento de rede para atendimento às necessidades do cliente e do grande investimento feito em infraestrutura.

Para aumentar ainda mais sua capacidade de operação, em janeiro de 1985, foram inauguradas as instalações do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Este grande projeto, executado em parceria com a Petrobras e a Esso, incluiu uma extensa malha com 106 pontos de abastecimento de aeronaves, incluindo redes de armazenagem, hidrantes e sistemas de combate a incêndios, que podem ser utilizados de forma simultânea, sendo este o maior de todo o país, no gênero. A movimentação mensal do aeroporto atinge hoje o volume de 222 milhões de litros.

Em 1987, a Shell já registrava a marca de uma aeronave abastecida a cada 52 segundos!

Sucesso comercial

Sempre preocupada com a conservação ambiental, a Shell inicia, em 1993, um programa de modernização de suas instalações nos aeroportos.

Devido a toda preocupação com segurança e os padrões e a garantia da qualidade dos produtos, no ano seguinte a Shell Aviation foi a primeira empresa do país a obter a certificação ISO 9002 para as operações de Aviação.

Ainda na década de 90 a marca Shell, após uma pesquisa com seus clientes, lança o Shell Aerojet, o querosene de aviação aditivado com um elemento anti-congelante e fungicida.

O programa de fidelidade Shell AeroClas, lançado em 2005, foi o primeiro programa de relacionamento do Brasil voltado para pilotos e mecânicos da aviação executiva.

A marca Shell é licenciada pela Raízen, uma joint-venture entre a Shell e a Cosan.