Jump menu

Main content |  back to top

Ganhadores do Prêmio Shell de Teatro

Em sua primeira versão, era composto por seis categorias: Autor, Diretor, Ator, Atriz, Cenografia e Especial, esta última abrangendo todos os demais segmentos ligados ao "fazer" teatral. Mas já em 89 surgia mais uma categoria: a de Figurinista. Em 92, foi a vez de incluir Iluminação e, em 96, Música.

Desde então, a categoria Especial não deixou de contemplar contribuições diretamente ligadas à cena, como Direção de Movimento, mas abriu um vasto leque de possibilidades.

Receberam este prêmio, dentre muitos outros, autores de publicações referentes ao teatro, profissionais ligados à preparação vocal e corporal, e até mesmo uma fábrica de tecidos, a Werner, uma fiel e constante parceira do teatro (RJ, 1999).

Para a 26ª edição, os organizadores do Prêmio renomearam a Categoria Especial, que passa a ser chamada de Inovação, já que, historicamente, tal categoria acabava por premiar os projetos mais inovadores da cena teatral.

Nela concorrem todos os espetáculos, textos, grupos, ou profissionais de teatro que tenham apresentado trabalhos ousados quanto à forma ou conteúdo.

A mudança, alinhada à visão da Shell de ser a empresa internacional de energia mais inovadora e competitiva do mundo, visa reconhecer a criatividade dos artistas e seu impacto positivo na mudança da forma como é vista a produção teatral no país.

 

Ganhadores do Prêmio Shell de Teatro

Desde 2001, o Prêmio Shell também elege, todos os anos, uma personalidade marcante do teatro nacional, que recebe pública homenagem na festa de entrega, por suas relevantes contribuições às artes cênicas.

A desafiadora tarefa de compor as listas de indicações e, finalmente, definir os vencedores de cada temporada cabe, em cada cidade, a um júri de cinco pessoas formado por profissionais das artes cênicas e outros especialistas em teatro, como críticos ou acadêmicos.

 

Troféu do Prêmio Shell de Teatro

O Prêmio Shell de Teatro é ponto de referência nos palcos brasileiros.

Outra marca registrada da premiação é o troféu. Uma escultura em metal, criada pelo artista plástico Domenico Calabroni, em forma de concha dourada, inspirada na tradicional logomarca da Shell.

Além do troféu, cada uma das nove categorias do prêmio - Autor, Diretor, Ator, Atriz, Cenografia, Iluminação, Música, Figurino e Inovação - recebe uma premiação individual de R$ 8 mil.

2001

Jorge Dória

Movimento "Arte contra a Barbárie"

2002

Bibi Ferreira

Gianni Ratto

2003

Sérgio Britto

Lélia Abramo

2004

João Bethencourt

José Renato

2005

Família Goulart

Gianfrancesco Guarnieri

2006

Kalma Murtinho

Cleide Yáconis

2007

Tonia Carrero

Ilo Krugli

2008

Ida Gomes

Jacó Guinsburg

2009

Eva Todor

Fernando Peixoto

2010

Maria Alice Vergueiro

Nathalia Timberg

2011

Bárbara Heliodora

Mariângela Alves de Lima

2012

Walmor Chagas

Ieda Ferreira