Jump menu

Main content |  back to top

Autor:

Gustavo Gasparani por “Samba Futebol Clube”

Jô Bilac por “Beije minha lápide”

Renata Mizrahi por “Galápagos”

Direção:

André Curti e Artur Ribeiro por “Irmãos de Sangue”

Christiane Jatahy por “E se elas fossem para Moscou?”

Gustavo Gasparani por “Samba Futebol Clube”

Bruce Gomlevsky por “ O funeral”

Companhia de Teatro Maniual por “Hominus brasilis”

Ator:

André Curti por “Irmãos de sangue”

Artur Ribeiro por “Irmãos de sangue”

Gustavo Gasparani por “Ricardo III”

Cândido Damm por “Vianninha conta o último combate do homem  comum”

Mario Borges por “A estufa”

Atriz:

Julia Bernat por “E se elas fossem para Moscou?”

Stella Rabello por “E se elas fossem para Moscou?”

Andrea Beltrão por “Nômades”

Suzana Faini por “Silêncio”

Cenário:

André Curti e Artur Ribeiro por “Irmãos de sangue”

Marcelo Lipiani por “E se elas fossem para Moscou?”

Gringo Cardia por “Chacrinha, o musical”

Paulo de Moraes por “A dama do mar”

Figurino:

Antonio Medeiros por “2 X matei”

Marcelo Olinto por “Samba Futebol Clube”

Claudia Kopke por “Chacrinha, o musical”

Kika Lopes por “Ópera do malandro”

Iluminação:

Bertrand Perez e Artur Ribeiro por “Irmãos de sangue”

Paulo Cesar Medeiros por “Samba Futebol Clube”

Maneco Quinderé por “A dama do mar”

Renato Machado por “Galápagos”

Música:

Felipe Radicetti por “Sacco e Vanzetti”

Nando Duarte por “Samba Futebol Clube”

Leandro Castilho por “As bodas de Fígaro”

Marcelo Alonso Neves” por Blackbird”

Categoria Inovação:

Christiane Jatahy pela construção de uma dramaturgia singular através da integração de teatro e cinema no espetáculo “E se elas fossem para Moscou?”

Elenco de “Samba Futebol Clube”, que tornou possível a renovação da estrutura do musical através de sua capacidade de atuar com excelência nas diversas funções do gênero.

Espaço Cultural Escola SEC, pelo formato de desenvolvimento cultural local, formação de platéia e integração entre artes cênicas e educação.

Os espetáculos selecionados nesta fase completaram o número mínimo de apresentações para serem elegíveis, de acordo com o regulamento do prêmio.

Homenagem:

Jorginho de Carvalho, pela contribuição na formação e profissionalização de gerações de iluminadores do teatro carioca.

Autor:

Leonardo Cortez por “Madito Benefício”

Sérgio Roveri por “Os que vem com a maré”

Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez por “Pessoas perfeitas”

Vinicius Calderoni por “Não nem nada”

Direção:

Guilherme Leme por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Marco Antônio Pâmio por “Assim é (se lhe parece)”

Eric Lenate por “Sit Down Drama”

Silvana Garcia por “Não vejo Moscou da janela do meu quarto”

Ator:

Roney Facchini por “Ou você poderia me beijar”

Rubens Caribé por “Assim é (se lhe parece)”

Luciano Chirolli por “Gotas d’água sobre pedras escaldantes”

Washington Luiz por “Marica”

Atriz:

Clara Carvalho por “Ou você poderia me beijar”

Denise Del Vecchio “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Gilda Nomacci por “Gotas d’água sobre pedras escaldantes”

Renata Gaspar por “Não nem nada”

Cenário:

Marco Lima por “Vidas Privadas”

Zé Valdir e Marcelo Lazzaratto por “Maldito Benefício”

André Cortez por “Gotas d’água sobre pedras escaldantes!

Marco Lima por “Caros Ouvintes”

Figurino:

Gabriel Villela e José Rosa por “Um réquem para Antonio”

Glória Coelho por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Fábio Namatame por “Caros Ouvintes”

Sonia Ushiyama por  “Pessoas perfeitas”

Iluminação:

Caetano Vilela por “Assim é (se lhe parece)

Tomás Ribas por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Beto Bruel por “Não vejo Moscou da janela do meu quarto”

Beto de Faria por “Rózà”

Música:

Fernando Alves Pinto, Letícia Sabatella e Marcello H por “Trágica.3 – Electra Medéia Antígona”

Jonatan Harold por “Florilégio musical II, nas ondas do rádio”

Luiz Gayotto e Lincoln Antonio por “Fausto”

Ricardo Severo por “Caros Ouvintes”

Categoria Inovação:

Projeto Vira-Latas de Aluguel pela projeção, capacitação e acessibilidade da linguagem teatral na comunidade de Heliópolis.

Cia Pessoal do Faraoeste pelo trabalho de ocupação e intervenção social e artística que contribui para transformação e revitalização urbanas da região da Luz.

Os espetáculos selecionados nesta fase completaram o número mínimo de apresentações para serem elegíveis, de acordo com o regulamento do prêmio.

Homenagem:

César Vieira pela trajetória artística junto ao Teatro  União e Olho Vivo e atuação política na defesa da classe teatral.

O júri do Rio de Janeiro é formado por:

  • Ana Achcar (atriz, professora e pesquisadora teatral)
  • Bia Junqueira (cenógrafa)
  • João Madeira (diretor do grupo AfroReggae)
  • Macksen Luiz (crítico teatral)
  • Moacir Chaves (diretor de Teatro)

O júri do São Paulo é formado por:

  • Carlos Eduardo Colabone (cenógrafo)
  • Evaristo Martins de Azevedo (crítico de arte)
  • Lucia Camargo (jornalista e curadora)
  • Mario Bolognesi (professor e pesquisador de teatro)
  • Renata Melo (Diretora em teatro e dança e coreógrafa)