Jump menu

Main content |  back to top

A palavra “Shell” apareceu pela primeira vez em 1891 como marca comercial do querosene que a Marcus Samuel and Company enviava ao Extremo Oriente. A pequena loja de Londres comercializava originalmente antiguidades e conchas do mar oriental. Em 1897, Samuel estabeleceu a The Shell Transport and Trading Company. A primeira logomarca, de 1901, era uma concha de mexilhão. Em 1904, uma concha de vieira (ou pécten) proporcionou o elemento visual para o nome e a marca corporativos.

Evolução da logomarca da Shell de 1900 a 1948

Por que o pécten?

O nome da empresa era “Shell” (concha), e cada um dos petroleiros da Samuel que transportava querosene para o Extremo Oriente recebeu um nome diferente de uma concha. O pécten pode ter sido inspirado no brasão do casaco de um sócio da empresa, o sr. Graham, que importava querosene da Samuel para a Índia e tornou-se diretor da The Shell Transport and Trading Company.

Acompanhando uma peregrinação a Santiago de Compostela, na Espanha, a família Graham havia adotado como símbolo a valva estriada (concha) de São Tiago. Ao longo dos anos, o formato do emblema da Shell foi modificado gradativamente para acompanhar as tendências de design gráfico. O designer Raymond Loewy criou e lançou o emblema atual em 1971.

Por que vermelho e amarelo?

Em 1915, a Shell Company da Califórnia construiu seus primeiros postos de combustíveis e precisava fazê-los destacar-se da concorrência. Resolveram utilizar cores vivas que não ofendessem os californianos: por causa das fortes origens espanholas do estado, escolheram o vermelho e o amarelo.
As cores efetivamente utilizadas desenvolveram-se ao longo dos anos, principalmente em 1995, quando o Vermelho Shell e o Amarelo Shell foram introduzidos para marcar o lançamento de nossa nova identidade visual no varejo. O pécten permanece como um dos maiores símbolos de marca do século 21.

Evolução da logomarca da Shell de 1955 a 1999

Ferramentas de Página