Jump menu

Main content |  back to top

Novidades e press releases

Prêmio Shell de Teatro anuncia vencedores da 25ª edição do Rio de Janeiro

Nesta terça-feira, a Estação São Paulo, em Pinheiros, irá receber a cerimônia de entrega do 25º Prêmio Shell de Teatro da capital paulista. Mãe e filha, as atrizes Nicette Bruno e Beth Goulart serão as apresentadoras da cerimônia

Criado em 1989, o Prêmio Shell de Teatro é referência nos palcos brasileiros. Em cada edição do prêmio são divulgadas duas listas de indicados ao longo do ano, com as peças que estrearam no primeiro e segundo semestre. Confira o regulamento pelo site: www.shell.com.br/teatro

Os vencedores de cada categoria receberão uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni, com a forma de uma concha dourada, inspirada no logotipo da Shell, e uma premiação individual de R$ 8 mil (oito mil reais).

A premiação é oferecida aos maiores destaques da temporada teatral, em São Paulo e no Rio de Janeiro, separadamente, em nove categorias: Autor, Diretor, Ator, Atriz, Cenário, Iluminação, Música, Figurino e Especial.

Nesta edição, o júri de São Paulo foi formado por Alexandre Mate, Carlos Colabone, Marici Salomão, Mario Bolognesi e Noemi Marinho.

A Homenagem Especial da noite é dedicada à camareira Ieda Ferreira como representante de uma imensa categoria de profissionais que não aparecem em cena, mas cujo trabalho é fundamental para todos os espetáculos.

Confira a lista completa de indicados ao 25º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo:

Autor:
(2º semestre)
Alexandre Dal Farra por “Mateus, 10”
Evill Rebouças por “Maria Miss”

(1º semestre)
Ana Roxo por “Cabeça de papelão”
Luís Alberto de Abreu por “Francesca”

Direção:
(2º semestre)
Maria Thaís por “Recusa”
Francisco Medeiros por “Facas nas galinhas”    

(1º semestre)
Neyde Veneziano por “Mistero Buffo”
Sandra Corveloni por “L’illustre Molière”
    
Ator:
(2º semestre)
Antonio Salvador e Eduardo Okamoto por “Recusa”
Vitor Vieira por “Mateus, 10”

(1º semestre)
Domingos Montagner por “Mistero Buffo”
Guilherme Sant’Anna por “L’illustre Molière”
João Paulo Lorenzon por “Eu vi o sol brilhar em toda sua glória”

Atriz:
(2º semestre)
Lavínia Pannunzio por “Um verão familiar”
Tania Casttello por “Maria Miss”

(1º semestre)
Lucia Romano por “A travessia da Calunga Grande”
Walderez de Barros por “Hécuba”
        
Cenário:
(2º semestre)
Márcio Medina por “Recusa”
Marco Lima por “Facas nas galinhas”

(1º semestre)
Jorge Takla por “Vermelho”
Zé Henrique de Paula por “Bichado”

Figurino:
(2º semestre)
Mira Haar por “Rabbit”
Zé Henrique de Paula por “No coração do mundo”

(1º semestre)
Gabriel Villela e Shicó do Mamulengo por “Macbeth”
Zé Henrique de Paula por “L’illustre Molière”

Iluminação:
(2º semestre)
Guilherme Bonfanti por “Bom Retiro 958 metros”
Nadja Naira por “Os bem intencionados”

(1º semestre)
Lúcia Chedieck por “Eu vi o sol brilhar em toda sua glória”    
Wagner Freire e Armazém da Luz por “Ifigênia”

Música:
(2º semestre)
Marlui Miranda por “Recusa”
Dr. Morris e Maurício Mateus por “Facas nas Galinhas”

(1º semestre)
Adilson Rodrigues por “Cabeça de papelão”
Ernani Maletta por “Hécuba”
Fernanda Maia por “L’illustre Molière”

Categoria especial:
(2º semestre)
Eric Lenate pela força performativa de seus experimentos.
Lume Teatro pelos 25 anos de trabalho permanente de pesquisa.

(1º semestre)
Cia. São Jorge de Variedades pelo trabalho de pesquisa e criação de “Barafonda”
Companhia Antropofágica pelo processo de pesquisa em “Máquinas de Intervenção Urbana”