Jump menu

Main content |  back to top

Novidades e press releases

Shell anuncia oferta bem sucedida por campo gigante em águas profundas no Brasil

Shell anuncia oferta bem sucedida por campo gigante em águas profundas no Brasil Subtítulo: Shell, Petrobras, Total, CNPC e CNOOC integram consórcio vencedor

Rio de Janeiro, 21 de Outubro de 2013

Um consórcio de empresas incluindo a Shell, Petrobras, Total, CNPC e CNOOC ganhou hoje um contrato de 35 anos para desenvolver o reservatório de Libra, localizado na camada do pré-sal da Bacia de Santos, na costa brasileira. O regulador brasileiro, a Agência Nacional do Petróleo (ANP), estima que os recursos recuperáveis de Libra possam variar entre oito e doze bilhões de barris de petróleo.

 

"A descoberta de petróleo em Libra, no Brasil, é uma das maiores acumulações de petróleo em águas profundas do mundo, e estamos ansiosos para aplicar a nossa experiência global e tecnologia no apoio ao desenvolvimento exitoso dessa importante oportunidade", disse Peter Voser, CEO do grupo Royal Dutch Shell.

 

A Shell detém 20% do consórcio vencedor. A Petrobras, como operadora, tem 40%. A Total, com 20%, além de

CNPC e CNOOC, cada uma com 10%, completam o grupo, que trabalhará em conjunto e de forma integrada para apoiar a Petrobras, operadora de maior experência no pré-sal brasileiro, incorporando as habilidades em águas profundas, o pessoal e a tecnologia de cada uma das empresas com vistas ao sucesso do empreendimento.

 

O contrato de partilha de produção deve ser assinado em novembro de 2013.  Como parte da proposta vencedora, a Shell pagará R$ 3 bilhões - equivalentes a 20% do total do bônus de assinatura de R$ 15 bilhões - e cumprirá o programa mínimo de trabalho para "Declarar Comercialidade" até o fim de 2017.

 

O reservatório de Libra está localizado em águas ultraprofundas na Bacia de Santos, a cerca de 170 quilômetros da costa do Rio de Janeiro. O bloco cobre aproximadamente 1.550 quilômetros quadrados a uma profundidade média de 2 mil metros de lâmina d’ água. Estima-se que a acumulação de óleo esteja a cerca de 3.500 metros abaixo do fundo do mar.  A ANP avalia que o pico de produção possa chegar a 1,4 milhão de barris por dia. Estudos adicionais serão necessários para confirmar essa estimativa, o conceito de desenvolvimento e uma data para o primeiro óleo.

 

 Shell

 

A Shell é uma das empresas pioneiras em exploração de óleo e gás em águas profundas, com 330 mil boe/dia de produção mundial nessa condição em 2012. Nosso compromisso com a tecnologia e a inovação permanece no centro da estratégia da companhia. Na medida em que projetos de energia tornam-se mais complexos e mais exigentes tecnicamente, acreditamos que nossa experiência em engenharia será um fator decisivo no crescimento de nossos negócios no futuro.

 

A Shell foi a primeira empresa petrolífera internacional a produzir em escala comercial no Brasil, com mais de 100 anos de história no país e cerca de 65 mil boe/dia de produção operada em 2012.  A companhia opera atualmente dois FPSOs (Floating, Production, Storage and Offloading vessel) no Brasil – o Espírito Santo, no Parque das Conchas, e o Fluminense, nos campos de Bijupirá & Salema. A empresa anunciou, recentemente, projetos de expansão da produção em ambos os campos. A companhia também opera e detém  80% do bloco BM-S-54, onde a descoberta de Gato do Mato está sendo avaliada. A Shell tem ainda outros ativos no Brasil, particularmente nosso negócio de lubrificantes e nossa joint venture Raízen, como a empresa líder em produção de etanol de cana de açúcar.

 

 

Para mais informações:

 

Assessoria de Imprensa Shell Brasil

Glauco Paiva

(21) 3984-7413

glauco.paiva@shell.com

 

Igor Baiense

(21) 3984-7897

igor.baiense@shell.com

 

Cajá – Agência de Comunicação

Priscilla Gonçalves – priscilla@caja.com.br

Paula Ceccon – paula@caja.com.br

(21) 2217-1403

Ferramentas de Página