Jump menu

Main content |  back to top

 

O projeto de expansão da Shell no Brasil segue em bom ritmo. Em 1921, são inaugurados o depósito no Porto de Santos e mais três filiais: em São Paulo, Porto Alegre e Salvador.

No ano seguinte,  é aberta a filial de João Pessoa e surgem as primeiras bombas de gasolina, a manivela, em ruas, garagens de capitais e cidades do interior, bem como ao longo de rodovias.

A concha, marca registrada da empresa, já é exibida, juntamente com a inscrição da marca Energina, a primeira gasolina comercializada no país.

O ano ainda foi marcado pela inauguração de mais um depósito, na Zona Portuária do Rio, e pela terceira mudança de sede, que passou para a Avenida Rio Branco.

A Anglo-Mexican deu provas de seu pioneirismo em fevereiro de 1927, com o nascimento da Shell Aviação.

Foi a primeira empresa a fornecer combustíveis e lubrificantes para aeronaves. O abastecimento inaugural foi o do hidroavião “Atlântico”, que fez o primeiro voo comercial do Brasil. O avião decolou de Porto Alegre rumo a Rio Grande (RS), transportando três passageiros e 162kg de correspondências.

O último ano da década ainda reservava o surgimento dos primeiros postos de serviços da Anglo-Mexican e a transferência da sede para o Edifício Shell, na Praça XV, onde a empresa permaneceu por 30 anos.

O cenário econômico mundial parecia bom, até que a maior crise econômica da história, a Grande Depressão, se instalou em 1929, com a quebra da Bolsa de Nova York.  Tempos difíceis estavam por vir.

Page Tools